Dicas nutricionais para a Meia Maratona de São Bernardo do Campo

CORRER… CORRER… CORRER…

…participar de uma prova de corrida!!
… para muitos deve ser algo corriqueiro…
…para outros, seu primeiro desafio: será que eu vou conseguir?
…não importa onde você se encaixa, a questão é: está se preparando corretamente?

Em se tratando de alimentação, temos etapas bem delimitadas:

a.  Fase de treinamento (meses antes da prova)

b. Fase pré competição (horas antes da prova)

c. Competição

d. Fase pós competição

Cada uma destas fases tem suas peculiaridades.

Na fase de TREINAMENTO, a alimentação deve ser a mais VARIADA possível; o objetivo será o maior aporte de nutrientes diariamente para a manutenção do treino, a recuperação dos estoques de energia gastos (carboidratos) assim como a regeneração de estruturas lesadas.

No PRÉ-COMPETIÇÃO, consi- derando corridas, como por exemplo, uma meia maratona (21k), dois a três dias antes deverá ser aumentada a quantidade de carboidrato ingerido ao longo do dia, para dar ênfase ao aumento dos estoques de carboidrato no músculo (glicogênio) que será fundamental para a finalização da prova. Alimentos ricos em fibra deverão ser reduzidos para evitar desconforto intestinal. O consumo de bebidas (água principalmente, além de sucos ou água de côco) possibilita um melhor estado de hidratação.

Na noite que antecede a prova, uma refeição rica em carboidrato deverá ser a escolha dos corredores… há muitos relatos de corredores que comparando diferentes corridas que já fizeram, se deram melhor comendo pizza do que com macarronada!! …mas isso não será uma regra…  esse é o corpo humano e sua imensa variabilidade (individualidade biológica)!! …com o tempo você saberá qual será sua melhor estratégia.

No dia da prova, se programar para acordar cedo é fundamental… fazer as coisas com calma, já que o nervosismo da própria competição estará tomando conta de você… assim,  se programando corretamente conseguirá consumir um café da manhã com calma e com menos chance de ter desconforto gastrointestinal. Não invente moda introduzindo alimentos (ou até mesmo suplementos) que sejam “novos” no dia da prova.

Na COMPETIÇÃO propriamente dita, só dois objetivos: reduzir o grau de desidratação e manter um suprimento de energia (carboidrato). As estratégias traçadas e praticadas nos treinos estão valendo. O consumo carboidratos em gel pode ser fundamental, aproveite os copos de água nos postos de apoio para consumi-los mais facilmente. Estas fontes de carboidrato podem ser consumidas a cada 30 ou 40 min após 1 hora do início de prova.

Na fase PÓS-COMPETIÇÃO, o consumo de alguma bebida ao término da prova é uma necessidade fisiológica e todos já o fazem quase que automaticamente. A escolha poderá conter também carboidrato que já ajuda também na recuperação inicial dos estoques de energia gastos: água, frutas e sucos de fruta, água de côco, caldo de cana, bebidas energéticas, bolos caseiros, biscoitos… serão bem aceitos.

Terminada a prova ficamos com a sensação de dever cumprido; não seria raro sermos tomados pelo desejo de repetir o desafio… de ficar pensando: qual será a proxima?… “ACHO QUE VOU FAZER ISTO PARA SEMPRE”….

…então, que não seja fogo de palha!! …coloque objetivos realistas… VÁ AOS POUCOS!!

…treine conhecendo seus limites, melhor ainda se tiver alguma ASSESSORIA…

…na alimentação NÃO INVENTE MODA, procure seu (sua) nutricionista…

…verá que num fechar de olhos poderá estar respondendo quando alguém lhe perguntar há quanto tempo pratica corrida:
…EU CORRO FAZ MUITOS ANOS !!!!

“bora” treinar …até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: