EU SOU LOBO | HISTÓRIAS DE SUPERAÇÃO E EXPERIÊNCIAS MARCANTES

Tá por aí de bobeira? Vamos conhecer mais um pouco de nossos colegas?

Dessa vez convidamos dois atletas da Lobo para compartilhar suas histórias de superação e experiências marcantes no esporte. Bora conferir?

Lilian Guerreiro

“Uma das situações mais desafiadores que enfrentei, ocorreu na Ultramaratona dos Perdidos em julho deste ano, uma prova de 100 quilômetros (minha maior distância até então) percorridos em trilhas e estradas nas montanhas do Paraná.

As características da prova, distância e tempos de corte por si só já eram desafios bastante duros, mas tive que superar muitas outras adversidades no seu transcorrer. Largamos as 10 da noite, e já saberia que lidar com o sono seria a primeira barreira, mesmo tendo descansado no dia da Prova. Com pouco mais de 5Km percorridos, comecei a sentir um desconforto intestinal, talvez pela euforia, ansiedade, e tive que lidar com esse desconforto por quase 20 quilômetros, com paradas providenciais para aliviar o problema. Minha maior preocupação ali era ficar desidratada ou desgastada para os muitos KMs que haviam pela frente.

No KM 36 havia um posto de controle onde consegui comer e me hidratar bem, e dali para frente, não tive mais os problemas que me atrapalhavam até aquele momento. Com mais de 60Km percorridos, agora o desconforto era na sola dos pés, como se houvesse areia ou terra raspando nos meus pés, mas para minha surpresa, quando tirei o tênis para verificar, constatei uma bolha ENORME.

Consegui chegar ao próximo posto de controle, já no KM 80 onde uma equipe médica me ajudou a provisoriamente diminuir as dores causadas por essa bolha. Ainda havia mais 20KM pela frente e a maior montanha da corrida (Morro Araçatuba) a ser superada. Com pouco tempo a bolha voltava a incomodar, mas na minha cabeça, a obsessão pela linha de chegada era maior, treinei tanto para chegar até ali, e não deixaria um pequeno obstáculo como esse me fazer parar. Só pensava na linha de chegada, mas cada passo enlameado, me fazia lembrar que a bolha estava ali.

Por fim, lutando contra todas as dificuldades passei pela linha de chegada com pouco mais de 21 horas de provas, e a enorme satisfação de dever cumprido, sabendo que sairia dali ainda mais forte para superar os desafios e limites que a vida nos pressupõem. Minha maior lição foi que a persistência e a resiliência são a chave principal para se chegar onde se quer.

Saí do sedentarismo depois dos 30 anos de idade, e sei que ainda posso ir muito longe. Aprendi na corrida de montanha a contornar situações difíceis usando inteligência emocional, a compreender que o seu limite é só você mesmo é que pode estabelecer. Aprendi a não ser vítima passiva das dificuldades, mas sim protagonista da minhas conquistas.

Todo mundo é capaz!!! Mantenha se forte, acredite em si mesmo!!!”

Thiago Pereira

“Bem, minha história de superação durante uma prova foi na Night Run 2017 – Etapa Blue, fui em busca do meu RP de 10k nesta prova, estava tudo ótimo até o km 6 eu senti uma dor insuportável no ombro e tive que parar, caminhei por uns 400mt, até que um senhor passou e falou “corre guerreiro, você consegue”.

Então voltei a correr, no km 7 olhei pro relógio e vi que ainda daria pra fazer RP, então apertei o passo e terminei abaixo de 1 hora (58:11).”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: