Não perdendo o foco

Por Lucas Salia

Grande parte dos atletas ao terminarem um ciclo de treinamento, um macro ciclo, ficam perdidos, o que fazer agora, atingi meu ápice! Quem nunca passou isso depois de uma Maratona ou um Ironman?

A dedicação extrema à alimentação e aos treinos nos deixa fisicamente, psicologicamente e emocionalmente estressados e fadigados, e precisamos de um tempo de férias destes treinos exaustantes que é o famoso período de transição entre os ciclos. Mas isso não significa ficar parado, e sim manter os treinos mas sem muita cobrança.Maratona

Tire a primeira semana para relaxar mesmo, treine de forma
leve sem relógio, GPS ou qualquer sistema de monitoramento, mas sem deixar de treinar! Já na segunda semana, inicie com treinos mais leves, voltando aos poucos a rotina de treino, porém, sem as cobranças ainda. Nesta fase é quando deve-se sentar com seu treinador para preparar os próximos objetivos, estabeleça metas primárias, secundárias e terciárias. Muitas pessoas estão ou estarão passando por este momento, principalmente após as grandes provas do momento, Maratona de São Paulo, Maratona do Rio de Janeiro e Ironman.

ironman-finishDe certa forma parece uma coisa simples, não? Definir um objetivo. Mas esta tarefa é bem mais complicada do que se parece. Algumas pessoas já gostam de emendar outra prova longa, que dura meses de preparação e tudo mais. Mas minha dica é focar nas provas mais curtas, pode até deixar como objetivo primário uma prova de longa distância daqui uns meses, mas concentre-se em provas curtas, o corpo se adapta aos estímulos, a variabilidade deles é muito importante para continuar obtendo desempenho. Então deixe provas menores como objetivos secundário e como terciário uma melhora dentro de cada prova, pequenas metas dentro deste objetivo, como melhorar o ritmo, acertar a técnica, dentre tantos outros. Dessa forma o treinador consegue planejar seus treinos para se obter diferentes ganhos ao passar do tempo e quando chegar ao seu objetivo primário novamente, você terá mudado sua consciência corporal, sua técnica, mente, ritmo, etc. Já, se for direto para uma meta extrema, o perigo de cair naquela angustia de ficar apenas pensando na prova, que ela está cada vez mais próxima, não fará você sentir o prazer que é o esporte que pratica.

Macro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: